Entrada da Cidade

Ônibus municipais têm nova tarifa a partir de domingo em Santos

O valor passará de R$ 4,05 para R$ 4,30. Créditos eletrônicos já depositados no cartão transporte serão convertidos em número de passagens pelo valor anterior (R$ 4,05)

Comentar
Compartilhar
08 JAN 2019Por Da Reportagem20h07
O valor solicitado pela operadora do serviço foi de R$ 4,56Foto: Rodrigo Montaldi/Arquivo DL

Entra em vigor neste domingo (13) a nova tarifa do transporte coletivo municipal (ônibus e lotação), que passará de R$ 4,05 para R$ 4,30. Os créditos eletrônicos já depositados no cartão transporte (CT) serão convertidos em número de passagens pelo valor anterior (R$ 4,05).

Aos domingos, segue valendo a meia tarifa para o pagamento com CT comum. E, com o desconto de 50%, os estudantes, devidamente matriculados em cursos regulares, pagarão R$ 2,15. O decreto de reajuste está publicado na edição desta quarta-feira (9) do Diário Oficial eletrônico.

O contrato de permissão do transporte coletivo prevê o reajuste anual da passagem. Vários fatores contribuíram para a definição do novo valor: os sucessivos aumentos do preço do combustível; a elevação de outros insumos (pneus e peças) que compõem o custo da tarifa; os gastos com a folha de pagamento e benefícios dos funcionários da permissionária e, principalmente, a queda no número de passageiros transportados.

O valor solicitado pela operadora do serviço foi de R$ 4,56. Vale lembrar que Santos não paga subsídio à empresa de ônibus.

Frota modernizada

Com a implantação de programa de modernização do sistema de transporte coletivo municipal, o setor vem recebendo vários investimentos ao longo dos últimos seis anos. Santos tem uma das frotas mais novas do País, com idade média em torno de 4 anos.

Todos os coletivos contam com rede de wi-fi e cerca de 75% da frota operacional, de 273 coletivos, dispõe de ar-condicionado. O índice de climatização é um dos maiores do território nacional, com meta de chegar a 100% até 2020.

Desde o final de julho, está em funcionamento a biometria facial em todos os coletivos. A tecnologia identifica os usuários beneficiados com isenção (pessoas com deficiência) e aqueles que têm desconto (estudantes), sendo um instrumento para coibir fraudes no sistema.

Colunas

Contraponto