04h : 12min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Ocupação da Cadeia Velha será rediscutida próximo dia 10

A audiência pública será às 19 horas no Teatro Guarany, no Centro, com a participação de artistas

Comentar
Compartilhar
17 FEV 2017Por Da Reportagem10h30
Os artistas não querem Agem na Cadeia Velha., mas sim, a volta das oficinas culturaisFoto: Matheus Tagé/DL

Data e hora marcadas. No próximo dia 10, às 19 horas, no Teatro Guarany – Praça dos Andradas – Centro, será realizada a primeira audiência pública para rediscutir a possibilidade da Cadeia Velha voltar a ser um centro cultural e não escritório da Agência ­Metropolitana da ­Baixada Santista (AGEM), como já definiu o ­Governo do Estado, com apoio dos secretários municipais de Cultura da região.

No mesmo dia e horário, ocorrerá a primeira reunião da Comissão Especial de Vereadores (CEV), proposta pelo vereador Chico Nogueira (PT), que contou com a assinatura de 18 dos 21 parlamentares, para discutir a questão. A audiência também é uma iniciativa da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), que apoia o Movimento Cultural de Santos e Baixada Santista, que almeja retomar o espaço para os artistas.    

No começo do mês, dezenas de artistas compareceram ao Legislativo para apoiar a criação da CEV. O documento do Conselho Municipal de Cultura repudiando o Estado pela falta de compromisso com a Cultura foi lido em plenário. A retirada do Projeto Guri da Zona Noroeste também foi duramente criticado.

Chico Nogueira, autor da proposta, já havia adiantado ao Diário sua preocupação com a decisão do Estado em acabar com as oficinas culturais na Cadeia Velha.

“A Cadeia e as oficinas juntas se tornaram um ícone, uma referência para a cultura da Baixada Santista. Centenas de artistas das mais variadas áreas se formaram lá. Essa não é uma ação do meu mandato, mas de todos os vereadores que preservam cultura e também da população. A luta é suprapartidária e acredito que a CEV será aprovada”, afirmara o parlamentar santista.

A ação de Chico Nogueira e dos artistas é um reflexo de uma reunião fechada e sem alarde, realizada no final do mês passado, envolvendo dirigentes da AGEM e cinco secretários de cultura - Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande e Cubatão – em que ficou definido que somente duas celas serão destinadas às atividades e cursos dos artistas da região.

Colunas

Contraponto