Santos

Mutirão agiliza alinhamento e identificação de cabos afixados em postes

A ação atende à lei municipal que visa diminuir a poluição visual e foi iniciada em junho

Comentar
Compartilhar
14 JUL 2018Por Da Reportagem00h30
Dividido em cinco quadrantes, o mutirão está na segunda áreaFoto: Divulgação/PMS

O Centro é a primeira região da Cidade a receber o mutirão para alinhar cabos afixados aos postes e identificar a quais concessionárias de telecomunicação eles pertencem. Organizada pela Prefeitura, a ação atende à lei municipal que visa diminuir a poluição visual e foi iniciada em junho, a partir de acordo com as empresas prestadoras dos serviços e a CPFL Piratininga, detentora dos postes e responsável pela locação dos espaços para os cabos, além da CET.

Dividido em cinco quadrantes, o mutirão está na segunda área, delimitada pelas vias Senador Feijó, João Pessoa, Frei Gaspar e Antonio Prado. "A região central é a mais crítica para o andamento desse trabalho porque ainda há muitos cabeamentos antigos e, com a quantidade de comércio na região, o número de serviços solicitados para as concessionárias cresceu consideravelmente", explica a secretária de Serviços Públicos (Seserp) da Prefeitura, Fabiana Ramos Garcia Pires.

Uma das maiores instaladoras de cabeamentos nesta região é a operadora Vivo, que na manhã desta sexta-feira (13) mantinha um funcionário trabalhando na Rua General Câmara, em frente ao bulevar da Rua Riachuelo. De apenas um poste, já tinham sido retirados 10 cabos desativados que não deveriam estar mais no local.

De acordo com a titular da pasta responsável pelo mutirão, ainda não foram aplicadas multas porque todos os ofícios que solicitam serviços foram executados pelas concessionárias.

Prazo

No dia 31 de agosto termina o prazo dado pela Comissão de Serviços Públicos para as concessionárias efetuarem as adequações no Centro. O mutirão é gerenciado pela CPFL que envia semanalmente os serviços executados para a Seserp.

No caso de os serviços não serem finalizados, as concessionárias serão notificadas e multadas em valores que vão de R$ 100,00 a R$ 500,00 por metro linear de cabeamento. Após a conclusão no Centro, o mutirão seguirá para outro bairro.

Colunas

Contraponto