12h : 50min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Mulheres de Santos decidirão onde descer fora do ponto de ônibus

Decreto foi assinado hoje (15) de manhã pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB). Benefício se estende pela madrugada, sempre até às cinco horas

Comentar
Compartilhar
15 SET 2017Por Carlos Ratton12h17
Mulheres que utilizam o transporte público em Santos poderão descer onde quiseremFoto: Arquivo/DL

A partir das 22 horas deste domingo (17), as mulheres que utilizam o transporte público em Santos poderão descer onde quiserem, mesmo que não haja ponto de ônibus, desde que os veículos não se desviem do itinerário. Decreto neste sentido foi assinado hoje (15) de manhã pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e o benefício se estende pela madrugada, sempre até às cinco horas e tem como objetivo a segurança.

Inúmeras cidades da região e do Brasil já adotaram a iniciativa. Em Santos, a medida vem há anos sendo apresentada na Câmara pelas mãos de vários vereadores que só não conseguiram transformá-la em lei porque proposta desta natureza tem que partir do Executivo.

Cartazes e outros tipos de peças de propaganda serão afixados nos pontos e nos ônibus, além de locais de ampla movimentação de pessoas para divulgar a campanha ‘Mantenha a Distância – Não Abuse’, relacionada à iniciativa, que também contará com o número 180 para denúncias de abusos contra as mulheres.

A Prefeitura não descartou a possibilidade de, em outro momento, estender o benefício para idosos e transexuais. Também existe a possibilidade, futuramente, das mulheres escolherem também onde subir, a partir sempre das 22 horas e até às cinco da manhã.

Presente na assinatura do decreto com demais parlamentares e secretários municipais, além de representantes de setores da Administração ligados aos direitos das mulheres, a presidente da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara, vereadora Audrey Kleys (PP), se mostrou satisfeita com a iniciativa.

“É uma conquista das mulheres. Muitas cidades do País já possuem esse benefício de parada diferenciada após às 22 horas. Santos, realmente, demorou para ter essa atitude, mas hoje a Cidade está agindo corretamente, recuperando o tempo em que projetos criados na Câmara foram entendidos como inconstitucionais por conta de serem de competência do Executivo. Por meio de uma indicação minha e de estudos conjuntos com técnicos da Prefeitura, que duraram cerca de oito meses, a proposta foi viabilizada”, afirmou a parlamentar.

O prefeito Paulo Alexandre enfatizou os benefícios da medida. “Vamos ampliar a segurança, pois as mulheres, à noite, poderão desembarcar mãos próximas de suas residências ou outro destino”, finalizou, ratificando que a medida poderá ser ampliada para outros públicos, além do feminino.     

Colunas

Contraponto