20h : 00min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Instituto Neo Mama acolhe mulheres com câncer de mama em Santos

O projeto é referência na assistência social e amparo às mulheres acometidas pela doença

Comentar
Compartilhar
12 OUT 2016Por Rafaella Martinez10h50
Instituto busca restaurar a autoestima de mulheres acometidas pelo câncer de mamaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

As paredes rosadas do imóvel já indicam que ali dentro os ideais da cor símbolo do mês de outubro perduram durante todos os dias do ano. Há 14 anos o Instituto Neo Mama, em Santos, acolhe mulheres vítimas de câncer de mama da Baixada Santista e de outras cidades do Estado de São Paulo.

O projeto surgiu após a enfermeira Gilze Maria Costa Francisco enfrentar a doença e criar um site especialmente destinado a transmitir informações e criar uma maior estrutura para o enfrentamento da doença, assim como a reabilitação e readaptação total da mulher vitimada pelo câncer de mama.

“Como profissional da saúde, muita coisa eu achava que sabia, mas só a vivência com a doença me ensinou verdadeiramente o que é o câncer e todas as implicações que a doença traz. É muito diferente você ter a teoria e aplicar a teoria com as pacientes e você ter a sua pratica. Você viver na pele a experiência de perder a mama e poder falar nitidamente que sabe o que as mulheres estão passando”, afirma Gilze.

Formada essencialmente por voluntários, o Instituto busca restaurar a autoestima de mulheres acometidas pelo câncer de mama, através de oficinas, aulas, palestras, atividades e até mesmo um banco de perucas e lenços. Todas as mulheres que atuam no projeto já enfrentaram o câncer de mama.

“O câncer é uma doença muito democrática. A dor que o pobre sente o rico sente também. As dores, os medos e os fantasmas são os mesmos independentemente da situação financeira. Dessa forma, o atendimento aqui também é igual. Qualquer pessoa pode entrar por essa porta e dividir a vida conosco”, afirma.

Atuação

“Quem está vivendo essa realidade precisa ter esperança. Precisa ver que existe uma realidade bonita depois do câncer. Essa é a principal bandeira que levantamos. Queremos mostrar que é possível superar quando o tratamento é adequado e seguido. E também quando há pessoas que já superaram e estão aqui, sorrindo e ajudando”, destaca.

Atualmente o Instituto promove uma série de ações e serviços e é campo de estágio para a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) na área de fisioterapia. Também há um projeto de dragon boat (atividade de remo que auxilia quem teve câncer de mama, por fortalecer a região da axila) em parceria com a Opium Hightec. O Instituto ainda oferece outras oficinas e aulas.

Atendimento com nutricionista

São fornecidas por uma técnica em nutrição todas as informações necessárias para suporte nutricional durante e após os tratamentos, além de aulas práticas de reaproveitamento de alimentos, troca de receitas e, se necessário, cardápios específicos para necessidades individuais que se apresentem (pacientes diabéticas, hipertensas, anêmicas, etc.).

Orientação jurídica

É realizada uma pequena palestra por profissional da área, onde todos os Direitos dos Portadores de Neoplasias Malignas são explicados, e em outro momento há a avaliação de documentos ou problemas jurídicos que possam estar acontecendo em suas vidas.

Atendimento Psicológico

É realizada uma triagem inicial por uma psico oncologista, e constatada a necessidade de atendimento, a assistida é então encaminhada para outra profissional da área, que dará continuidade ao tratamento. Esse atendimento é realizado na sede do Instituto ou no consultório da psicóloga responsável.

Banco de perucas/Banco de lenços

Projeto ‘Construindo uma moldura’. As doações de cabelo são encaminhadas para um profissional que monta as perucas. O instituto possui um Banco de Perucas diversificado e preparado para atender as mulheres que, em consequência da quimioterapia, perdem seus cabelos. As perucas são emprestadas, sem nenhum ônus, e só devolvidas após o crescimento dos cabelos.

Fisioterapia

São explicações e orientações fornecidas por fisioterapeutas diretamente às mulheres e seus acompanhantes.

Banco de próteses

As próteses são de materiais diversificados, doadas sempre que solicitadas a quem não possui.

Yoga/Dança de salão

Visam o relaxamento e a reintegração corpo e mente.

Mulheres relatam aprendizados

Lacinhos na cor rosa estavam empilhados na mesa de madeira instalada na cozinha do Instituto Neo Mama. Três amigas trabalhavam na montagem do símbolo do mês de conscientização do câncer de mama.

Caprichosamente maquiada e com um lenço azul na cabeça, a vendedora Celina Santos, de 48 anos, dedicava parte da tarde para as atividades do instituto, lugar que conheceu após o diagnóstico da doença, em novembro de 2015. “Fazia exames todo ano. No de 2015 apareceu o tumor, que já estava bem grande, embora não fosse palpável. Sei que a luta ainda será difícil, mas conhecer pessoas que já passaram por isso me dá forças para continuar batalhando”, afirma.

Sempre cuidadosa com a saúde, Seila Ortiz, de 72 anos, descobriu o câncer de mama pela primeira vez em 1985.

“O tratamento foi doloroso, mas o que mais me assustou foi quando tentei voltar para o trabalho e percebi que não conseguia ter movimentos perfeitos para pegar o lápis na minha mesa. Precisei ser afastada, enfrentei e fiquei bem por 20 anos. Em 2005 descobri um novo nódulo na mesma mama e precisei fazer uma mastectomia total. Hoje me considero curada, mas sigo com o tratamento. Dessa segunda vez posso dizer que o enfrentamento foi mais leve, pois instituições como o Neo Mama me auxiliaram muito durante o processo”, finaliza.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar