Entrada da Cidade

Obras no Deck do Pescador, em Santos, são retomadas

Nesta primeira etapa, dois mergulhadores passaram cintas em volta das vigas submersas e um guindaste ergueu as peças do mar

Comentar
Compartilhar
14 SET 2018Por Andressa Aricieri08h50
Mergulhadores passaram cintas em volta das hastes submersas e um guindaste ergueu as peças do marFoto: Divulgação/PMS

As obras de restauração do Deck do Pescador, localizado na Av. Almirante Saldanha da Gama s/nº, Ponta da Praia, voltaram a entrar em atividade na manhã de ontem.

Na tarde de quarta-feira, a Reportagem do Diário do Litoral foi conferir a operação, que estava parada por problemas em uma peça do guindaste. Este equipamento está sendo usado para a retirada das 30 vigas de 51 toneladas ao todo.

Ontem, as vigas foram retiradas e contaram com o apoio de dois mergulhadores para ajudar na remoção, que passaram cintas em volta das hastes submersas e um guindaste ergueu as peças do mar e depositou sobre as rochas, ao lado da mureta da orla.  Na próxima terça-feira (18) o cronograma dos serviços prevê que outro guindaste seja utilizado para içar as vigas e colocar no caminhão que vai fazer o transporte do material.

A Prefeitura de Santos afirmou, em nota, que “a previsão de término da obra é em novembro. Antes disso, dentro de 40 dias, deve ser finalizada a reforma da área de apoio, composta por sanitários e loja. O piso será todo reparado e o local receberá ainda a instalação de cobertura em policarbonato e guarda-corpos”.  

Além disso, ainda segundo a Prefeitura, a avaliação final apontou a necessidade de demolição de grande parte da área afetada e recuperação do restante, reduzindo a extensão da estrutura de 70 para 20 metros.

Para execução da reforma do Deck do Pescador estão sendo utilizados recursos de saldo de convênio Dadetur. Em uma nova etapa será elaborado projeto com o objetivo de reconstrução dos 50 metros restantes. Os serviços foram estimados com valor de R$ 779 mil e estão sendo realizados pela Agnus Engenharia, com gerenciamento da pasta de Infraestrutura e Edificações.

Colunas

Contraponto