07h : 00min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Greve dos servidores em Santos completa 10 dias e segue sem negociação

A proposta do governo municipal é aplicar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do período, 5,35%, nos valores do auxílio-alimentação e da cesta básica

Comentar
Compartilhar
18 MAR 2017Por Agência Brasil12h00
Greve dos servidores em Santos completa 10 dias e segue sem negociaçãoFoto: Matheus Tagé/DL

Segue sem acordo a greve dos servidores da prefeitura de Santos. Eles estão paralisados há dez dias para reivindicar reajuste salarial. A proposta do governo municipal é aplicar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do período, 5,35%, nos valores do auxílio-alimentação e da cesta básica. Os servidores afirmam que só aceitam negociar se a contraproposta oferecer reajuste nos salários que, no mínimo, reponha a inflação.

De acordo com o Sindicato dos Servidores Municipais de Santos (Sindserv), 80% da categoria aderiu à greve. Balanço da prefeitura, por sua vez, indica que cerca de 50% dos profissionais da Saúde Mental e da Assistência Social estão paralisados. Na educação, a adesão alcança 70%. O governo informa ainda que nas 32 policlínicas a paralisação é parcial, com adesão de 35% dos servidores, e que os pronto-socorro das zonas noroeste e central funcionam normalmente.

Decisão

Na segunda-feira (13), o governo municipal entrou com ação na Justiça para pedir que 80% do funcionalismo municipal mantenha os serviços essenciais nas áreas da educação, assistência social e saúde. Segundo o sindicato, “a prestação dos serviços inadiáveis da comunidade, aquelas que podem colocar em perigo a sobrevivência, a saúde e a segurança, estão sendo mantidas”.

Ainda não há decisão da Justiça. A entidade sindical informou que já apresentou a defesa e que o juiz solicitou manifestação do Ministério Público. A prefeitura justifica o pedido por entender que “o interesse público se sobrepõe ao interesse particular e, por isso, determina a continuidade do atendimento à população sem interrupção de atividades. Além da área da educação, a mesma jurisprudência vale para a área de assistência social e saúde”.

Negociação

Sobre a possibilidade de abrir negociação com os servidores, a prefeitura respondeu que a proposta já foi feita e que não enviou qualquer projeto relativo ao reajuste à Câmara Municipal de Santos. A assessoria de imprensa destaca que “o assunto vem sendo objeto de diálogo com o sindicato”.

Colunas

Contraponto