Prefeitura Santos febre amarela

Febre amarela: 1º dia da campanha é tranquilo na região

Ao contrário do que foi visto nas últimas semanas, o atendimento na maioria das unidades de saúde estava tranquilo

Comentar
Compartilhar
26 JAN 2018Por Caroline Souza13h00
Em Santos, a meta é vacinar toda a população - 420 mil pessoasFoto: Paulo Villaça/DL

A campanha de vacinação contra a febre amarela começou ontem em todas as cidades da Baixada Santista e não registrou muitas filas. Ao contrário do que foi visto nas últimas semanas, o atendimento na maioria das unidades de saúde estava tranquilo.

Em Santos, a meta é vacinar toda a população - 420 mil pessoas. Para isso, 22 policlínicas, distribuídas entre as cinco regiões da cidade, estarão funcionando de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, até o dia 17 de fevereiro. Hoje, por conta do feriado municipal pelo aniversário de Santos, não haverá imunização.

A reportagem do Diário do Litoral percorreu algumas policlínicas da cidade e só encontrou fila na da Aparecida. De acordo com a chefe da unidade, Eliane Bittencourt, quando a policlínica foi aberta, cerca de 100 pessoas aguardavam para se vacinar.

“A primeira pessoa da fila relatou que chegou às 4h15 da manhã”, informa a chefe. “As pessoas vêm aqui porque antes da campanha havia apenas quatro locais para vacinação e um deles era esse. Agora, são 22 postos de vacinação por toda a cidade, muitos sem fila, e elas podem ir para outros ­locais”, diz.

Às 11h, 87 pessoas tinham sido atendidas na policlínica da Vila Nova. Luciano Caires foi até o local preparado para enfrentar uma grande fila e se impressionou ao chegar na unidade. “Está tranquilo, achei que ia encontrar uma multidão”, relata.

Vera Lúcia de Souza foi vacinar seus dois filhos e também se surpreendeu com a policlínica vazia. “Acho que não demorei nem meia hora. Quando venho fazer exames ou consultas de rotina demoro muito mais”, comenta. Por estar gestante, a mesma não se vacinou. Na porta da unidade, cerca de cinco agentes de saúde aguardavam as pessoas para orientá-las se deviam ou não se vacinar contra a febre amarela.

A policlínica com menos movimentação era a do Bom Retiro. Ao chegar na porta da unidade, os agentes de saúde realizavam a triagem e entregavam a senha. No mesmo instante, a pessoa entrava e em menos de cinco minutos já estava saindo do local.

“Estamos fazendo a triagem na entrada para não causar tumulto. Também temos uma enfermeira para orientar os idosos. Mas o atendimento está rápido”, explica o chefe administrativo da unidade, Clodoaldo dos Santos.

Em São Vicente, o atendimento segue até o dia 17 de fevereiro, de segunda à sexta-feira. No entanto, o horário de vacinação será das 9h às 15h30. Na unidade básica de saúde Central de São Vicente, cerca de 10 pessoas aguardavam na fila por volta de 12h.

No total, serão 24 pontos em toda a Cidade, com envolvimento de mais de 400 profissionais da área da saúde. A aplicação será por ordem de chegada, com distribuição de senha, e fila preferencial para idosos, portadores de necessidades especiais e crianças menores de 5 anos. O objetivo é imunizar 95% da população vicentina.

Certificado Internacional

Quem vai viajar para áreas de risco fora do país que exigem o Certificado Internacional pode se vacinar em qualquer lugar e depois se dirigir a unidade de saúde da Aparecida para fazer o documento.
“Muitos estão vindo tomar apenas aqui, porque acham que outras policlínicas não vão dar. Mas todos os postos estão autorizados”, explica a chefe da unidade da Aparecida.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a recomendação do Ministério da Saúde é que os viajantes internacionais que irão para países onde a vacina contra a febre amarela é exigida tomem a dose plena. “A aplicação desta dose pode ser feita em qualquer uma das 22 policlínicas participantes da campanha, mediante a apresentação de algum comprovante de viagem”, afirma a Secretaria.

“A dose plena não é mais, nem menos eficaz que a fracionada. Ambas têm o mesmo efeito”, explica Eliane. “Os países só exigem a dose plena, porque o certificado é vitalício”, complementa.

A emissão do Certificado Internacional do Viajante e Profilaxia (CIVP) é feita em Santos na Policlínica da Aparecida (Av. Pedro Lessa, 1.728), onde funciona o Centro de Orientação ao Viajante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O atendimento é de segunda a sexta, das 11h às 15h, basta apenas apresentar o comprovante da aplicação da dose plena, além do documento oficial de identificação com foto e o comprovante da viagem ­internacional.

Na Baixada Santista, além desta unidade de Santos, há uma policlínica de Guarujá que também realiza a emissão do Certificado Internacional. O endereço é Avenida Leomil, nº 518, Praia de Pitangueiras. O horário de funcionamento é das 10h às 14h. A documentação é a mesma informada acima.

Colunas

Contraponto