Entrada da Cidade

Falta de cozinheira em escola ecoa na Câmara de Santos

O vereador Lincoln Reis (PR) intermediou, junto à Subprefeitura dos Morros, mais duas funcionárias para trabalhar no refeitório da unidade e ainda da UME Cyro de Athaíde Carneiro

Comentar
Compartilhar
08 MAR 2018Por Carlos Ratton08h20

A revolta online da mãe Marly Siqueira por conta da falta de cozinheira na Unidade Municipal de Ensino (UME) Deputado Rubens Lara, localizada na Rua Lucinda de Matos, 293 - Morro Nova Cintra, ecoou na Câmara de Santos. O vereador Lincoln Reis (PR) intermediou, junto à Subprefeitura dos Morros, mais duas funcionárias para trabalhar no refeitório da unidade e ainda da UME Cyro de Athaíde Carneiro. As profissionais começam hoje.   

Leia: Mãe expõe falta de cozinheira em escola de Santos

Na tarde de ontem, o vereador esteve pessoalmente nas unidades escolares para conversar com as diretoras das escolas, Maria Adelaide Gomes Barros e Virgínia Maria Mendes, e confirmou que além das duas novas merendeiras nomeadas pela Secretaria de Educação (Seduc), conseguiu que duas funcionárias da subprefeitura também fossem indicadas para trabalhar nas escolas e ajudar a normalizar a situação definitivamente. Essas começam no próximo dia 14.  

“São mais de 900 refeições servidas diariamente, é necessário no mínimo seis pessoas e é pra isso que estamos trabalhando. Sabemos que muitas crianças vêm pra escola esperando essa alimentação, não podemos deixar que fiquem por mais tempo nesse sofrimento de um dia ter a alimentação adequada e no outro não”, explicou o parlamentar, que também esteve reunido com o secretário de Educação Carlos Motta sobre as manifestações através das redes sociais.

Audrey

Além de Reis, a vereadora Audrey Kleys (PP) apresentou um requerimento na segunda-feira (5), em caráter de urgência, questionando quais medidas serão adotadas para normalizar a situação das escolas citadas na reportagem, publicada ontem no Diário do Litoral. A parlamentar disse ontem que esteve pessoalmente visitando as escolas para conferir de perto a situação e tomar as providências necessárias junto à Seduc.    
   
O filho

Marly Siqueira resolveu publicar em seu perfil, nas redes sociais, a foto do filho mostrando um bilhete da direção do colégio alertando a situação. No bilhete, a direção informava aos pais que o “almoço e o lanche da tarde estarão suspensos em função da falta de cozinheiras”. Apenas os alunos da Escola Total iriam receber almoço. “Aos demais, será fornecido lanche seco”, completava a direção.  

A Seduc esclareceu que das seis cozinheiras, quatro estão em licença médica e que a situação foi normalizada após remanejamento de funcionárias para que a merenda fosse servida normalmente no dia seguinte, quando a direção disse que não haveria comida. A Prefeitura destaca também que nomeou duas novas cozinheiras e que uma delas inicia hoje na UME Rubens Lara. A Seduc destaca que o fornecimento da merenda está sendo feito e que todas as refeições foram servidas ontem normalmente.

 

Colunas

Contraponto