Santos

Dia nacional luta contra a violência sexual infantil

Para conscientizar munícipes sobre o tema, a Prefeitura de Guarujá preparou uma programação especial

Comentar
Compartilhar
17 MAI 2018Por Da Reportagem16h38

Dia 18 de maio marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Para conscientizar munícipes sobre o tema, a Prefeitura de Guarujá, através da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social preparou uma programação especial.

Durante esta semana, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), está trabalhando o tema junto a comunidades do Guarujá. As atividades servem como forma de prevenção e contam com a parceria de organizações da sociedade civil, escolas e Unidades de Saúde da Família (Usafas) e são realizadas por meio do serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), e das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (AEPETI).

Nesta sexta-feira (18), o Creas realizará uma ação de divulgação e conscientização sobre o enfrentamento ao abuso e exploração sexual nas ruas próximas a unidade. O objetivo é levar informação para que as pessoas sejam capazes de identificar e assim denunciar estas situações.

Para a coordenadora de Média Complexidade da diretoria de Proteção Social Especial da Sedeas, Marina Sales Rodrigues Martins Silva, a ação é uma forma de se quebrar o tabu que existe sobre a violência sexual. "Precisamos dar visibilidade para mostrar que eu isso acontece, e é mais comum do que imaginamos. Mostrar que nós somos responsáveis por combater esse crime".

Cuidados

Em Guarujá, alguns serviços atendem crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual. Na Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, o Creas realiza o atendimento por meio do PAEFI e na Secretaria de Saúde, o Hospital Willian Rocha oferece apoio através da Rede de Acolhimento e Assistência às Vítimas de Abusos e Violência Sexual (Reavivas).

Além disso, também fazem parte da rede de proteção, o Conselho Tutelar, a Delegacia da Mulher, o Ministério Público e o Poder Judiciário.

A denúncia é muito importante para que o combate seja efetivado e o principal meio para isso é através do Disque 100, dos Direitos Humanos.

18 de Maio

A história que marca esta data aconteceu em 18 de maio de 1973, quando uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo foi encontrado dias depois, carbonizado. O caso aconteceu em Vitória, no Espírito Santo, e os agressores nunca foram punidos.

A repercussão do crime gerou uma grande mobilização em defesa dos direitos das crianças e adolescentes. O dia reforça uma data para que a população se una e manifeste contra esse tipo de violência.

Colunas

Contraponto