Santos

Cubatão, Bertioga, PG e SV estão no top 10 dos royalties

Estado aumentou em 70% arrecadação de royalties de petróleo e gás em 2017

Comentar
Compartilhar
06 FEV 2018Por Da Reportagem20h08
Navio-plataforma Cidade de Ilhabela, instalado no campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de SantosFoto: Divulgação

Cubatão, Praia Grande, Bertioga e São Vicente estão entre as dez primeiras cidades que mais arrecadaram com royalties e participações especiais pela exploração de petróleo e gás em 2017. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (6) pelo Governo do Estado.

A arrecadação estadual, segundo o governo, foi de R$ 2,5 bilhões, o que representa um recorde. A quantia de R$ 1,4 bilhão foi arrecadada para o cofre estadual, enquanto os municípios arrecadaram R$ 1,1 bilhão. “O valor (total) representa um aumento de 70% em relação ao ano anterior”, informou o governo.

As três cidades que mais se destacaram nos royalties de petróleo foram Ilhabela (R$ 440 milhões), São Sebastião (R$ 87,3 milhões) e Caraguatatuba (R$ 82,3 milhões). Juntas, correspondem por 60% do valor total. Como estão localizadas no litoral, área diretamente impactada pela atividade petrolífera, foram compensadas.

Cubatão está em quarto lugar (R$ 61 milhões), Bertioga, em quinto (R$ 50 milhões) e Praia Grande e São Vicente, na nona e décima posições com R$ 15,3 milhões cada.

“Em 2017, São Paulo ficou em terceiro lugar no ranking de produção de petróleo e gás. Contudo, o Estado de SP ficou com a segunda posição nacional na arrecadação de royalties e participações especiais. Passou Espírito Santo, que somou R$ 2,2 bilhões, e ficou atrás do Rio de Janeiro, que arrecadou R$ 11 bilhões”, informou o governo paulista.

Entre as regiões do estado a que recebeu a maior parte dos royalties foi o Vale do Paraíba e Litoral Norte, que respondeu por 69% do total. Em segundo lugar aparece a Baixada Santista que totaliza 14,7%, seguida por Registro 7,9%, região metropolitana de São Paulo com 6,7%, Sorocaba 1% e Campinas 0,7%.

A produção de petróleo e gás é oriunda de seis campos localizados na plataforma continental da Bacia de Santos no litoral de São Paulo. Atualmente, Sapinhoá, localizado no pré-sal, é o maior campo paulista.

Colunas

Contraponto