22h : 29min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Codesp assina ordem de serviço para iniciar dragagem do canal

O contrato foi firmado na última segunda-feira (10) com a empresa Dragabras Serviços de Dragagem, vencedora do certame licitatório

Comentar
Compartilhar
14 OUT 2016Por Da Reportagem10h50
A Ordem de Serviço para realização dos serviços de dragagem no Porto de Santos foi assinadaFoto: Divulgação

A Ordem de Serviço para realização dos serviços de dragagem no Porto de Santos foi assinada ontem (13) (13.10.2016) na sede da Presidência da empresa. O contrato foi firmado na última segunda-feira (10) com a empresa Dragabras Serviços de Dragagem, vencedora do certame licitatório autorizado dia 30 de junho último. A empresa apresentou proposta para realizar o serviço de dragagem e manutenção das profundidades de todo canal de navegação, bacias de evolução e acesso a berços pelo prazo  de 12 meses, ao preço de R$ 72 milhões.

O diretor-presidente da Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), Alex Oliva, o diretor de engenharia, Antonio de Pádua, e o diretor da Dragabrás, Tom De Schepper, assinaram a Ordem de Serviço, na tarde de hoje. Oliva destacou a importância do contrato, “garantindo a continuidade do serviço de forma a proporcionar maior tranquilidade aos usuários do Porto de Santos que passará a operar de forma plena, sem restrições, com calado de 13,20 metros, imprescindível para proporcionar mais  produtividade, com a infraestrutura necessária ao principal equipamento portuário  a serviço do comércio exterior e da economia nacional”. Agora, o Porto de Santos está totalmente atendido quanto à dragagem, contando  com os serviços de manutenção da dragagem de berços realizados pela empresa Dratec Engenharia Ltda.

O diretor de engenharia explicou que a previsão para o início efetivo dos serviços deve ocorrer dentro de aproximadamente 20 dias. O equipamento, a draga Pearl River , encontra-se na Nigéria e demandará cerca de 15 dias para se deslocar até Santos. Depois, necessitará de mais 4 dias  para regularização junto à Capitania dos Portos. Para ganhar tempo, informou o diretor, a Dragabrás já está instalada em Santos, promovendo processo de integração e treinamento do pessoal envolvido na operação para antecipar o início do serviço.

O diretor da Dragabrás informou que já há cerca de 10 anos vem atuando em portos brasileiros, destacando o serviço prestado pela empresa.

A dragagem será iniciada pelo trecho I, que se estende da Barra até o Entreposto de Pesca, o primeiro a ser dragado através do contrato anterior e, também, o que apresenta maior índice de assoreamento, principalmente em decorrência das ressacas, mais frequentes durante o inverno.

A draga Pearl River é um equipamento construído pelo estaleiro IHC, de bandeira belga. Tarata-se de draga tipo Hopper, de sucção e auto transportadora com capacidade para 20 mil metros cúbicos.

O novo contrato atenderá à realização da dragagem nos quatro trechos que compõem o canal de navegação, da Barra até a Alemoa, numa extensão de 24 quilômetros, mais as bacias de evolução e os trechos de acesso aos berços de atracação, prevendo a retirada de até 4,3 milhões de metros cúbicos.

Profundidades recuperadas

Dragagem de manutenção feita pela Codesp, ainda sob  vigência do contrato anterior, recentemente encerrado,  promoveu o restabelecimento das profundidades, permitindo  a operação com calado máximo em dois trechos do canal de navegação do Porto de Santos. Os novos números estão em vigor desde terça-feira desta semana (11 de outubro). Calado é a distância entre a tona da água e a parte mais submersa (quilha) do navio.

Agora, o canal de navegação entre a Torre Grande e o Armazém 06 (Trecho III) e do Armazém 06 até  o final do terminal BTP (trecho IV) voltam ao calado máximo permitido  de 13,20 m, com a possibilidade de acréscimo de um metro na preamar, quando a maré for igual ou maior que um metro.

A nova determinação retoma a tabela praticada no início de junho deste ano, conforme abaixo:

Calados máximos de operação no canal de navegação (Zero DHN):

Barra até Entreposto de Pesca: (Trecho I) 13,20m

Entreposto de Pesca à Torre Grande: (Trecho II) 13,20m

Torre Grande até Armazém 06: (Trecho III) 13,20m*

Armazém 06 até final da Alamoa: (Trecho IV) 13,20m*

Alamoa 02 até final trecho IV: (Trecho IV) 11,20m

*calados recuperados

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar