09h : 10min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Cidades da Baixada projetam orçamentos maiores em 2017

Apenas Guarujá e Peruíbe contam com previsões orçamentárias menores do que as deste ano

Comentar
Compartilhar
24 DEZ 2016Por Diário do Litoral08h00
Santos é a cidade com o maior orçamento da Baixada Santista. O valor previsto para 2017 é maior que o de 2016Foto: Rodrigo Montaldi/DL

Apenas duas cidades da Baixada Santista – Guarujá e Peruíbe - projetam arrecadar menos em 2017. Os demais municípios da contarão com orçamento um pouco maior que o estimado para este ano, apesar da crise econômica em que passa o País. Somados, o recurso orçamentário previstos para as nove cidades da Região é de R$ 9,2 bilhões – R$ 364,7 milhões a mais que este ano.

Santos continua com o maior orçamento da Região. A previsão de arrecadação aumentou para o próximo ano e é de R$ R$ 2,69 bilhões. Em 2016 a receita prevista foi de R$ 2,55 milhões. O prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) anunciou um pacote de medidas que visam a contenção de gastos e que somam R$ 190 milhões de ­economia.

Guarujá tem o segundo maior orçamento da Baixada Santista, no entanto, para 2017 o município prevê arrecadar um pouco menos que este ano – R$ 1,415 milhões. Em 2016, a previsão orçamentária é de R$ 1,44 milhões.

Praia Grande tem a terceira maior previsão da Região. Ao contrário deste em que a receita estimada é de R$ 1,24 bilhão, em 2017 a peça orçamentária está prevista em R$ 1,386 bilhão.

São Vicente, que passa por grave crise financeira, também prevê arrecadar mais em 2017 – R$ 1,050 bilhão. Este ano a previsão de arrecadação era de R$ 1,08 bilhão, mas o município ficará longe de cumprir a previsão orçamentária. A baixa nos recursos teve reflexos negativos na Administração, que não conseguiu pagar o 13º dos servidores públicos. A categoria está em greve.

Em Cubatão, a previsão de receita é um pouco maior que a deste ano, onde o orçamento foi estimado em R$ 1,33 bilhão. Em 2017, o município pretende arrecadar R$ 1,34 bilhão. A cidade passa por grave crise financeira. A prefeitura anunciou que não tem dinheiro para pagar o 13º salário do funcionalismo público.

Bertioga estima ter R$ 5 milhões a mais no orçamento do próximo ano, calculado em R$ 410 milhões. Neste ano a meta de arrecadação é de R$ 405 milhões.

Itanhaém também projeta arrecadar mais em 2017. O orçamento previsto para o próximo ano é de R$ 410 milhões. Este ano a previsão foi de R$ 363 milhões.

Peruíbe deve contar com menos recursos no próximo ano. A peça ­orçamentária está prevista em R$ 268 milhões. Neste ano a cidade projetou arrecadar R$ 281 milhões­.

Mongaguá, que tem o menor orçamento da Baixada Santista, prevê arrecadar um pouco mais em 2017. A previsão orçamentária é de 221 milhões. Neste ano o município projetou R$ 215 milhões.

Colunas

Contraponto