Banner Sabesp

Câmara de São Vicente não deve ter recesso de janeiro

Dr. Palmieri (PSB), vereador mais votado no último domingo (2), disse que grupo novo pretende ‘arregaçar as mangas’ e trabalhar nas férias

Comentar
Compartilhar
07 OUT 2016Por Diário do Litoral10h30
Gustavo Palmieri, o Dr. Palmieri (PSB) assumirá a presidência da Câmara Municipal durante a sessão de posseFoto: Rodrigo Montaldi/DL

“Em janeiro não vai haver recesso”. A afirmação é do vereador vicentino eleito Gustavo Palmieri (PSB), o Dr. Palmieri. O veterinário foi o mais votado na eleição do último domingo (2), com 4.101 votos. Ele deve conduzir a sessão do dia 1º de janeiro de 2017, onde será dada posse ao prefeito eleito Pedro Gouvêa (PMDB) e aos 15 vereadores que farão parte da próxima legislatura da Câmara de São Vicente.

“Janeiro é recesso para vereadores, mas não vai haver recesso. Juntamos alguns vereadores e com o prefeito eleito, e vamos abrir mão do recesso. Começar a arregaçar as mangas e a trabalhar desde o dia 1º de janeiro. Na primeira sessão já vamos chamar uma extraordinária para poder trabalhar por São Vicente. O pessoal que entrou quer trabalhar, porque São Vicente não pode parar”, afirmou Palmieri. 

O veterinário disse que os vereadores eleitos têm se reunido. Embora ele tenha a missão de conduzir a presidência da Câmara na sessão de posse, ele não demonstra pretensão em seguir no cargo.

“Vamos diplomar o nosso prefeito. Sobre a Mesa Diretora, pretensões não tenho ainda. Hoje temos só dois fora do grupo, mas que já estão alinhados com a gente. Buscaremos encontrar um bons nomes para montarmos Mesa Diretora. Estamos em conversa entre o pessoal novo e está bem adiantada a busca por um nome de consenso, que ajude principalmente o Executivo a levar São Vicente para a frente”, destacou Palmieri. Os dois vereadores eleitos citados por ele não fazem parte da coligação que elegeu Gouvêa.

Essa é segunda vez que Dr. Palmieri, de 37 anos, concorre ao cargo de vereador. Na primeira tentativa, em 2012, ele obteve quase 2.500 votos. Filho do ex-vereador Eduardo Palmieri, que ocupou cadeira na Câmara Municipal por dois mandatos, o veterinário cresceu no meio da política. Nos últimos anos tem se dedicado a projetos sociais voltados à causa animal.

“Fui criado em São Vicente a vida inteira. Venho de família que vive em São Vicente e sempre lutou pela cidade. Meu pai foi vereador por duas legislaturas. Cresci no ambiente da política, mas sempre buscando o melhor para São Vicente”, destacou.

Na Câmara, Dr. Palmieri terá como foco a causa animal e social. “Sou médico veterinário de formação e tenho a causa animal dentro da minha vida por mais de 15 anos. A nossa atuação vai ser grande nessa área. Firmamos um pacto com o Pedro, antes mesmo da eleição, que hoje é o nosso prefeito eleito e vai tomar posse em janeiro. Um pacto de melhoras dentro da causa animal, onde vamos buscar a volta da Zoonoses, das castrações e das políticas públicas voltadas a causa animal. Além de ter um mandato participativo, que não se resume apenas nesta causa, mas que precisa reerguer a cidade”, afirmou.

Sobre o retorno das Regionais, confirmado pelo prefeito eleito Pedro Gouvêa (PMDB), Dr. Palmieri disse que os vereadores devem apenas auxiliar o prefeito na construção de um novo modelo.

“A regional tem que voltar, porque a zeladoria é o que precisa em São Vicente. Não mão de vereador. Tem que ser nas mãos de técnicos. A gente está até discutindo entre os vereadores eleitos alguns modelos para ajudar o prefeito. Precisa ter encanadores, eletricistas, pedreiros e profissionais da área de zeladoria. Não vereador colocar qualquer um como cabide de emprego. Acho que isso é muito ruim para São Vicente”, ressaltou.

Colunas

Contraponto