Ação social oferece exames de saúde e corte de cabelo gratuitos a caminhoneiros em Cubatão

Será na tarde desta terça-feira (13), em um posto de combustíveis, no polo industrial

Comentar
Compartilhar
12 MAR 2018Por Da Reportagem20h30

Pelo menos 150 caminhoneiros que prestam serviços em indústrias do polo petroquímico de Cubatão poderão participar de uma ação social nesta terça-feira (13). Palestras, aferição de pressão arterial, exame de glicemia e corte de cabelo, tudo de graça, serão oferecidos no posto de combustíveis situado na Av. Engenheiro Plínio de Queiroz, Lote 7, no Jardim São Marcos (Posto Aldo Locatelli).

A ação social é promovida pela Associação Logística de Transportadores Autônomos de Cubatão, a Altacub. O objetivo é oferecer serviços que agreguem à qualidade de vida dos caminhoneiros, uma vez que esses trabalhadores passam grande parte de sua vida nas estradas.

A partir das 9h haverá palestras da equipe do Altacub, informando sobre o Projeto Social, inclusive com a participação da assistente social e da psicóloga do projeto. Na sequência, uma equipe do Sest/Senat formada por pessoal da Segurança do Trabalho, dentista e fisioterapeuta, divulga o trabalho oferecido também em áreas do polo industrial, em parceria com a Associação.

No período da tarde, das 13h30 às 16h30, haverá serviços gratuitos para os caminhoneiros como aferição de pressão arterial, exame de glicemia (diabetes) e corte de cabelo. As atividades serão realizadas por estudantes da Escola de Enfermagem Cien e do Instituto Embelleze.

"A idéia desse primeiro evento é divulgar o Projeto Social que será permanente. Teremos ações de saúde, atendimento odontológico, cursos de formação profissional, atendimento psicológico e de assistência social, rodas de conversas e palestras em pontos fixos como o Ecopátio (estacionamento de caminhões e descanso dos trabalhadores) e Tiplam (terminal de carga e descarga)", afirma Fausto William, secretário da Altacub.

O projeto foi criado para oferecer ações de qualidade de vida à categoria. Ao longo dos anos de atuação, a Associação foi percebendo que a vida na estrada dificulta o acompanhamento constante da saúde dos motoristas profissionais. "Nossa idéia é permitir que o caminhoneiro utilize o pouco tempo disponível na rodovia, para cuidar de si mesmo", afirma Fausto.

Uma pesquisa realizada em 2016 pela Confederação Nacional do Transporte, CNT, traçou um perfil do caminhoneiro brasileiro e refletiu exatamente as situações enfrentadas pelos trabalhadores da estrada aqui em Cubatão. De acordo com o estudo, 57% dos caminhoneiros entrevistados sofrem com hipertensão; 14,5% têm diabetes, seguido por problemas cardíacos, de coluna e depressão. O aumento do consumo de bebida alcoólica também consta como uma complicação no meio.

A pesquisa ainda aponta que a maioria dos caminhoneiros tem apenas 5 folgas por mês, representando quase metade dos entrevistados e 10% não tem nenhum dia de descanso mensal. Os estudos também mostram que 19% dos caminhoneiros passam até 20 dias longe da família e mais da metade não tem férias. Problemas no sono e pouca prática de exercícios físicos foram outras complicações relatadas pelos entrevistados.

A assistente social do Projeto, Maria do Socorro Bizinelli, ressalta a importância de ações preventivas junto a esses trabalhadores: "Acreditamos que os caminhoneiros que estão com a saúde em dia conseguem exercer as atividades profissionais de maneira mais segura, diminuindo, inclusive, o risco de acidentes". Ela é uma das responsáveis pela instalação dos projetos da Associação.

Colunas

Contraponto