23h : 54min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

A dureza da vida projetada na dança

VILA DO TEATRO. Companhia de Dança do CIEMH2 Núcleo Cultural vem à Santos para propor reflexão sobre o assédio/abuso sexual na infância

Comentar
Compartilhar
08 JAN 2017Por Rafaella Martinez09h30
Companhia de Dança do CIEMH2 Núcleo Cultural vem à Santos para propor reflexão sobre o assédio/abuso sexual na infânciaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A arte que escancara a dor do nosso tempo, ampliando a cena para uma discussão social que vai além das fronteiras do fazer artístico. Assim pode ser definido o projeto ‘Cantos e Contos Coreográficos’, que estará em Santos nos dias 25 e 26 de janeiro. Contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015, o projeto propõe a circulação do Coletivo FLORES, companhia de Dança do CIEMH2 Núcleo Cultural, com o espetáculo de dança “O Último Bicho de Pelúcia”.

O espetáculo é construído a partir de situações pesquisadas e apresentadas por intérpretes que usam histórias reais transformadas em contos com o objetivo de provocar reflexão sobre a violência na infância.

“A temática sempre esteve presente na vida do grupo e acreditamos que o palco, a rua e qualquer lugar onde tem arte pode e deve ter também reflexão”, aponta Dilma Negreiros, diretora de produção.

Como atividades complementares, o projeto proporcionará ainda oficinas e debates em um intercâmbio cultural, culminando com resultados artísticos compostos pelos participantes das oficinas.

Violência

O conto coreográfico “O Último Bicho de Pelúcia” tem o norte de criação partindo de pesquisa realizada com adultos que na infância passaram por assédio/abuso sexual. O trabalho fala sobre adultos que precisam romper com medos e lembranças amargas que confundem as memórias de uma infância atropelada por abusos. Para alguns até parece que nada aconteceu, criando uma confusão entre realidade e fantasia. Para outros o dia a dia provoca alarmes de sensações que não conseguem ficar no passado.

Entre poesia e realidade de histórias pesquisadas, o grupo coloca na arte um papel fundamental de discussão sobre o tema a fim de provocar e ser provocado na busca de um viver mais gentil.

“Os corpos em cena são panfletários: transmitem a todo tempo a mensagem que o grupo quer passar. Durante nossas circulações, sempre que as apresentações terminam e começamos a conversar com a plateia escutamos relatos comoventes. Muitos falam que a apresentação os fizeram refletir sobre as mensagens que as crianças querem passar”, aponta a diretora.

AGENDA

Dia: 25/01

17h
Oficina - Dança Narrativa
Local: Vila do Teatro 
Praça dos Andradas, 35 - Centro, Santos/SP
Vagas limitadas e gratuitas: 20 alunos, acima de 16 anos.

19h
Espetáculo: O Último bicho de pelúcia 
Local: Praça dos Andradas - Centro, Santos/SP
Bate papo sobre a obra

Dia 26/01

19h
Espetáculo: O Último bicho de pelúcia 
Local: Praça dos Andradas - Centro, Santos/SP
Bate papo sobre a obra

Apoio Institucional: Vila do Teatro

 

Colunas

Contraponto