Entrada da Cidade

19 anos de denúncias

Mensalinho no Guarujá, Praias fechadas, Chequinho em Santos foram alguns casos denunciados pelo Diário. Confira!

Comentar
Compartilhar
17 NOV 2017Por Rafaella Martinez12h05
Mensalinho no Guarujá, Praias fechadas, Chequinho em Santos foram alguns casos denunciados pelo DiárioFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Mensalinho no Guarujá

Há onze anos, o Diário do Litoral e a Rede Bandeirantes denunciaram, com exclusividade, o esquema de pagamento de propina na Câmara de Guarujá, que ficou conhecido como ‘Mensalinho’. Na Baixada Santista, o Diário foi o primeiro veículo a ter acesso às imagens da atividade ilícita. O escândalo envolvendo o Legislativo e o Executivo estampou a capa do Diário do Litoral do dia 7 de setembro de 2006 e a cobertura completa do caso foi noticiada no telejornal Band Cidade. No entanto, passados onze anos, os 12 indiciados criminalmente, incluindo vereadores e o ex-prefeito Farid Madi, continuam impunes.

Praias fechadas

O Ministério Público Federal (MPF) de Santos deu 20 dias de prazo, a contar do recebimento dos ofícios, para que a Prefeitura de Guarujá esclareça sobre as dificuldades de acesso às praias da área conhecida como Rabo do Dragão, cercadas por loteamentos de alto padrão. O prazo termina no próximo dia 23.

Há cinco anos o Diário do Litoral vem denunciando a restrição imposta pelos condomínios. Só tem acesso às praias as pessoas que são submetidas aos critérios das direções dos condomínios, amparadas pela suposta falta de espaço nos estacionamentos particulares e possível depredação de área ambiental.

A Secretaria de Patrimônio da União (SPU) chegou a recomendar ações à Prefeitura no sentido de assumir o controle das praias. A Administração passada havia se prontificado em apresentar uma proposta que iria garantir que agentes públicos atuassem nas praias e no entorno delas. As portarias, por exemplo, primeiros obstáculos que limitam o ingresso, sairiam do controle dos loteamentos e passariam a ser administradas pela Guarda Municipal.

Chequinho em Santos

O Diário do Litoral descobriu um esquema quase que institucionalizado, montado na Prefeitura de Santos, envolvendo a maioria das secretarias municipais, que paga mensalmente dezenas de apoiadores do Governo. Entre os ‘chequinhos’, como ficaram conhecidas as pessoas beneficiadas, estão líderes de bairro, assessores de vereadores, comerciantes, profissionais liberais, colaboradores de campanha e formadores de opinião. A Prefeitura nega possíveis irregularidades.

O juiz da 3ª Vara de Justiça de Santos, Fábio Sznifer, condenou por improbidade administrativa o chefe do Departamento Regional da Zona Noroeste, Acácio Fernandes Egas, e o secretário de Serviços Públicos, Carlos Alberto Tavares Russo. O prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) foi retirado da condição de réu pelo magistrado.

DO mais caro do Brasil

Em 2002 o DL denunciou o fato de Santos ter o Diário Oficial mais caro do Brasil. Na ocasião, a previsão orçamentaria para manutenção do periódico havia aumentado 155,61%. A tiragem superava a tiragem de jornais comerciais de municípios com população equivalente a Santos.

Neste ano o DL questionou a decisão da Prefeitura de descontinuar a impressão do Diário Oficial.

Onda limpa Itanhaém

A Sabesp e o Governo do Estado foram acusados por ambientalistas em 2011 por implantar um sistema de esgoto na areia da praia de Itanhaém. A Secretaria de Patrimônio da União (SPU) não havia sido consultada e a obra foi suspensa.

 

 

 

 

 

 

 

Colunas

Contraponto