22h : 14min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Contraponto

  •  

    Não podiam esperar?

    A apresentação do plano diretor de tecnologia da informação e comunicação da Baixada Santista serviu para que políticos e autoridades, presentes à reunião do Condesb, ontem, tirassem um tempinho para colocar as mensagens recebidas em seus celulares em dia.

  •  

    Aprovaram sem ver

    Com o aparelho em punho e cabeças baixas, muitos dos que ­compunham a mesa aproveitaram o momento - que pedia atenção – para enviar suas mensagens. Ao final da apresentação, o exposto foi aprovado.

  •  

    Dispersos demais

    Mas não só o celular desvia a atenção dos políticos da Região. Outro exemplo ocorreu na Câmara de Santos na última semana. Enquanto a vereadora Telma de Souza (PT) explanava sobre a questão da lei que proíbe os fogos de artifício com barulho, Geonísio Aguiar, o Boquinha (PSDB) começou a conversar com outros vereadores, o que incomodou a petista.

  •  

    Para tudo

    Telma não pensou duas vezes em chamar a atenção do colega. “Um momento. Geonísio, eu estou te atrapalhando? Mas você está me atrapalhando”, disse Telma. “Pode continuar”, respondeu o tucano.

  •  

    Na pauta de hoje

    E por falar na lei que proíbe os fogos de artifício, a mesma volta à pauta com modificações nos pontos polêmicos, na sessão de hoje da Câmara de Santos, quando será avaliada em primeira discussão.

  •  

    Na contramão da crise

    Mesmo tendo perdido as eleições municipais para o prefeito Artur Parada Prócida, que foi reeleito em Mongaguá, o ex-vereador e ex-candidato à prefeitura da Cidade, Rafael Redó (DEM) não ficou desempregado. Ele conseguiu uma colocação no mercado de trabalho e na chefia.

  •  

    Na contramão da crise II

    Ele é o novo gerente do Núcleo Regional de ­Santos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e ­Urbano (CDHU). Redó irá ­coordenar o escritório regional da Companhia que atende a 27 cidades.

  •  

    Mais anúncios

    Há cerca de uma semana após a última coletiva na prefeitura de Santos, quando o prefeito Paulo Alexandre Barbosa anunciou sua intenção de não conceder aumento ao funcionalismo público neste ano, novamente o chefe do Executivo convoca a imprensa. Agora para anunciar medidas para a rede municipal de Saúde. O prefeito estará acompanhado hoje do secretário de Saúde, Fábio Ferraz.

  • Quarta
    22 de Fevereiro
  •  

    Não deu as caras

    Havia expectativa de que o secretário de Cultura de Santos, Fábio Alexandre Nunes, o Fabião, estivesse na apuração dos votos das escolas de samba de Santos. Expectativa frustrada. Fabião, não apareceu.

     

  •  

    Chateado

    Nos bastidores segue a informação de que o professor anda bem descontente com o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. Fábio Nunes teria ficado em segundo plano nas escolhas do chefe do Executivo, o que o fez perder força em suas decisões à frente da Secretaria de Cultura.

  •  

    O folião

    E ainda falando em Carnaval, o vereador santista Antonio Carlos Banha Joaquim (PMDB) foi homenageado pelo bloco da Direito UniSantos. O tema: ‘Tubarões Foliões’. Mas a vida de folião do vereador não parou por aí. Ele também foi homenageado por outra banda composta por integrantes da escola de samba Padre Paulo.

  •  

    Foi-se o tempo

    “Já foi o tempo que fui bom nisso”, brincou Banha ao falar sobre as festividades.

  •  

    Vida agitada

    E a vida de Banha anda mesmo agitada, seja no período carnavalesco ou fora dele. O vereador comentou sobre ser o vice-líder do governo Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) na Câmara de Santos. “Eu sou um homem religioso, sou um missionário. Tenho essa missão agora em ser advogado de defesa. Estou aprendendo”.

  •  

    Alvo preferido

    Rui de Rosis (PMDB) não cansa de atacar o trabalho de Alcídio Mello, o Cidão, enquanto secretário municipal de Esportes de Santos. Há alguns dias o peemedebista voltou a dizer que o ex-atleta foi substituído no cargo pela má gestão e acusou o ex-secretário a deixar equipamentos que estavam prontos em estado deplorável.

  •  

    Falha

    De Rosis também elogiou o novo secretário da pasta, Sadao Nakai (PSDB), mas errou ao citar o número de mandatos de Sadao na Câmara para justificar a sua experiência. O peemedebista disse que foram quatro mandatos, mas Sadao está no terceiro e licenciado.

  •  

    Trocas

    Com o licenciamento de Sadao para trabalhar no Executivo, Geonísio Aguiar, o Boquinha (PSDB), o substituirá na Comissão de Esportes, Turismo e Lazer (2º vice-presidente). Da mesma forma, Jorge Vieira da Silva Filho, o Carabina (PSDB), entrou no lugar de Cacá Teixeira (PSDB) na Comissão de Direitos da Cidadania e dos Direitos Humanos (3º membro). Cacá é o atual secretário de Gestão.

  •  

    Bem lembrado

    Durante as discussões, nas últimas sessões da Câmara, sobre as condições dos equipamentos esportivos de Santos, Chico Nogueira (PT) atentou para outro perigo. Segundo o parlamentar, com o Centro Esportivo M. Nascimento e o Complexo do Rebouças fechados, os espaços podem se tornar criadouros para o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, entre outras doenças.

  • Terça
    21 de Fevereiro
  •  

    Tranquilidade

    Transcorreu na mais absoluta tranquilidade o desfile de carnaval antecipado deste ano, em Santos. Salvo alguns atrasos, tudo certo com as escolas. E a apuração do desfile está marcada para hoje, a partir das 11 horas, no Teatro Guarany.

  •  

    É carnaval

    Se a apuração deste ano seguir o exemplo dos dois dias de desfile, a vitória será de todas as agremiações, independente da nota que obtenha. Mas é bom polícia e Guarda Municipal estarem atentas para que não se repitam as lamentáveis cenas da apuração do ano passado quando tumulto, brigas e quebra-quebra reduziram o brilho da festa.

  • Segunda
    20 de Fevereiro
  •  

    Vai dormir, Carabina

    Durante discussão na Câmara de Santos sobre a transferência do Projeto Guri do Centro Cultural da Zona Noroeste para a Cadeia Velha, no Centro, o vereador Carabina (PSDB) interrompeu Telma de Souza (PT) para pedir o encerramento da discussão. As galerias da Casa reagiram mal. Teve apito, algumas pessoas comentando que o tucano queria ir dormir e, claro, saiu a frase já repetida algumas vezes neste ano: “Vai dormir, Carabina”.

Colunas

Contraponto