Entrada da Cidade
COLUNA

Nos Bastidores do Santos FC

Glauco Braga

Coluna "Nos Bastidores do Santos FC" passa a ser divulgada toda semana aqui neste espaço. Vamos abordar a política do clube da Vila Belmiro e suas consequências. Boa leitura!

Nos Bastidores do Santos FC

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 2018Por Glauco Braga12h19

Na coluna desta semana, você vai saber detalhes da multa aplicada pelo fisco espanhol ao Santos, além de informações sobre a saída do conselheiro José Carlos de Oliveira do Comitê de Gestão.  

Perto de 12 ou de 50?

A coluna obteve a informação que o Santos teria de pagar R$ 50milhões ao fisco espanhol, não R$ 12 milhões como foi divulgado pelo presidente José Carlos Peres, na última reunião do Conselho Deliberativo, pela assessoria de imprensa do  clube  e por alguns veículos de comunicação. A assessoria do clube informou que  o valor exato é 2.715.049,18 euros (cerca de R$ 12 milhões

O motivo da multa

O Santos foi penalizado por  falta de recolhimento do Imposto de Renda de Não Residente (IRNR) sobre os valores que recebeu pela transferência do jogador  Neymar em 2013 e 2015. O valor inicial era de 3.626.397,00 euros (perto de R$ 16 milhões), mas o Alvinegro conseguiu a redução de 1.059.281,30 euros  (cerca de R$ 4 milhões).

Vai recorrer

O Santos vai recorrer da punição, mas para tal precisa  que até 5 de dezembro deposite ou apresente uma garantia bancária espanhola no valor da dívida. Sob pena da multa ser acrescida em 20% do valor do tributo (aprox. 543 mil euros) após este prazo. Além disso, existe  o risco de valores provenientes ao Santos vindos da Europa serem bloqueados

Monitoramento

O Fisco espanhol monitora continuamente as operações do mercado de futebol. Então, caso não haja pagamento/garantia no prazo estabelecido, imediatamente ele pode analisar se o Santos tem recebíveis de clubes espanhóis e intimar o clube pagador com a finalidade de bloquear o pagamento ao Santos.

Planejamento de 2019

O Alvinegro informou que tal processo gera um substancial desembolso não previsto em dezembro, caso seja depositada a garantia conforme exigência do Governo Espanhol. Existe  o risco em 2019 do clube ter bloqueados valores de transações de jogadores num valor ainda maior que a multa atual. A multa afeta a administração de fluxo de caixa de curtíssimo prazo ou um corte da receita prevista em 2019 com transferência internacional de jogadores para a Europa.

Estremecidos

Não convidem, por enquanto, o conselheiro Márcio Rosas e o presidente Marcelo Teixeira para saborear um bolinho de bacalhau no Bar do Toninho. Grandes amigos, também se estranham.

Mais um

O conselheiro Vidal Sion pediu desligamento da Comissão de Estatuto.

Explicações

O conselheiro José Carlos Oliveira , ex-integrante do Comitê de Gestão, resolveu explicar na última reunião do CD, os motivos que o levaram a tomar tal decisão, ou seja, seu desligamento. Dentre os motivos estão: falta de um planejamento estratégico; demissões sem autorização do Comitê de Gestão, contratações sem aviso ao CG; pagamento de comissão para intermediários, situação que havia sido combinada entre os gestores e o presidente Peres que não voltaria a acontecer no clube;  informações do Santos via internet ou televisão e contratos de quatro atletas com cláusulas  “nocivas’’  ao Santos.

Regalias

Oliveira disse que solicitou ao clube contratos de atletas da base e profissionais e que quatro chamaram sua atenção. “Havia comissão, luvas, gatilhos salariais de até 57%”, disse. Ele garantiu ainda que sabe de contratos que se forem rompidos pelo clube, o funcionário recebe uma multa de 50%, mas se o funcionário quiser sair, via as costas e vai embora.  O conselheiro ressaltou a urgência da aprovação de um regimento interno do CG para evitar esses problemas. "Para cada contrato efetuado a partir do novo advogado, o  jurídico passou a fazer ata. Ata de reunião pra contratação de base e profissional, sem haver a reunião. E eu passei a recusar assinar atas porque não participava e não assinaria o que não autorizei".

Contraponto