Entrada da Cidade
Unip
COLUNA

Nos Bastidores do Santos FC

Glauco Braga

Coluna "Nos Bastidores do Santos FC" passa a ser divulgada toda semana aqui neste espaço. Vamos abordar a política do clube da Vila Belmiro e suas consequências. Boa leitura!

Nos Bastidores do Santos FC

Comentar
Compartilhar
10 SET 2018Por Glauco Braga11h19

Tudo na paz
O presidente do Conselho Deliberativo do Santos, Marcelo Teixeira, garantiu que tudo está bem organizado para a reunião do dia 10, segunda-feira. "A expectativa é que transcorra em ordem, com respeito e em paz, com o direito dos conselheiros votarem pelas suas próprias convicções", disse. Os dois pedidos de impeachment estão na pauta. A votação será por cédulas em urnas e a apuração imediata em dois processos distintos.

Sem culpa
Um conselheiro procurou a coluna para reiterar que o Conselho Deliberativo vai só referendar o sinal de positivo para que o sócio do clube decida, em uma Assembleia Geral, o impeachment do presidente José Carlos Peres ou não. "Os conselheiros podem se sentir à vontade, pois não serão responsabilizados por nada. Quem vai decidir pelo afastamento serão os associados do Santos FC", disse.

Em dia
Para votar na segunda-feira, o conselheiro precisa estar em dia com o clube. Além da anuidade, precisa ter pago a manutenção e o ingresso. Para evitar mal-estar, a dica é ir até à Secretaria Social do clube e verificar a situação

Mais de 250
Autor de um dos pedidos e ex-presidente do Conselho de 2000 a 2001, Esmeraldo Tarquinio Neto, projeta a presença de mais de 250 conselheiros!!

Duas vezes
Os  presentes votam no primeiro pedido e mesmo com aprovação ou rejeição, eles vão para o segundo. Caso aprovado, aí sim, acontece a Assembleia Geral para os associados, em outra data.

Na defesa
José Carlos Peres, em contato com a coluna, lembrou que ao assumir o clube, em 2 de janeiro, encontrou dez contas correntes zeradas, ou melhor, bloqueadas. "Tínhamos que pagar férias e o 13º dos jogadores. Saímos correndo atrás, com o chapéu na mão. Fomos aos bancos e com a dignidade que temos no mercado, resolvemos tudo, pagamos todos. Hoje, todo mundo recebe em dia aqui", afirmou o cartola.

Maior da história
Peres lembrou que, na sua administração, o clube fez a maior transação de um jogador na história das Américas. A venda do atacante Rodrygo para o Real Madrid. Especula-se que o Peixe recebeu pela parte que detinha do jogador algo em torno de R$215 milhões. `Pegamos um valor absurdo, astronômico. Foi uma negociação feita na raça e colocamos que só venderíamos se ultrapassasse muito a multa rescisória. Isso salvou o clube. Apesar disso, o que me entristece é o ódio e a ingratidão de algumas pessoas", garantiu.

Não foi a torcida
O dirigente relembrou que não tem problemas com as torcidas organizadas do Peixe. "Eu disse que me ameaçaram, se dizendo da Torcida Jovem. Isso não significa que seja mesmo. Acho que foi armação. Disseram que iam jogar bombas e bagunçar. Provavelmente quiseram me jogar contra a organizada, cuja relação é muito boa".

Contraponto