Prefeitura Santos febre amarela

Todo o Dinheiro do Mundo, baseado em fatos reais, estreia nos cinemas

Dirigido por Ridley Scott, o filme tem uma indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante para Christopher Plummer que substituiu Kevin Spacey

Comentar
Compartilhar
03 FEV 2018Por Bárbara Farias12h02
Michelle Williams é Gail Harris e Mark Wahlberg é o ex-espião Fletcher ChaseFoto: Divulgação

Baseado em fatos reais, o thriller de suspense e drama “Todo o Dinheiro do Mundo” estreou nos cinemas na última quinta-feira (1º). Dirigido por Ridley Scott, o filme que tem uma indicação ao Oscar, conta a história do sequestro de John Paul Getty III (Charlie Plummer), de 16 anos, neto do magnata do petróleo, Jean Paul Getty (Christopher Plummer).

O drama é concentrado no empenho da mãe de John, Gail Harris (Michelle Williams), que pediu ajuda financeira ao avô do rapaz, que recusou. Os sequestradores então decidem enviar à imprensa uma orelha do rapaz para obrigar a família a acelerar o pagamento do resgate. No filme, o valor pedido pelos sequestradores é de US$ 17 milhões, porém, na realidade, estima-se que foi pedido US$ 3 milhões no resgate. 

Plummer substitui Spacey

Christopher Plummer foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante por sua atuação no filme. Curioso é que ele foi convidado por Ridley para substituir Kevin Spacey, afastado após as denúncias de assédio sexual. Plummer refez as cenas de Spacey e teve só duas semanas para memorizar suas falas. 

Plummer já ganhou um Oscar, em 2012, aos 82 anos, por sua atuação no filme “Toda Forma de Amor”. Com isso, ele se tornou o ator mais velho a receber o prêmio.

O saída de Spacey foi providencial para Ridley, que chegou a declarar à revista ‘Hollywood Reporter” que Plummer sempre foi sua primeira opção. Ele revelou ainda que Spacey só foi escalado para o elenco porque o estúdio exigia alguém com mais “nome”.

A refilmagem começou no dia 20 de novembro e os atores Michelle Williams e Mark Wahlberg (ex-espião Fletcher Chase) tiveram que regravar suas cenas também, mas não cobraram nada a mais por isso.

A refilmagem custou ao estúdio um prejuízo de US$ 10 milhões. Além do elenco, a equipe técnica também foi chamada de volta para fazer as edições. Ao todo, o orçamento do filme foi de US$ 50 milhões. 

A Diamond Films é a distribuidora do longa-metragem no Brasil.

Colunas

Contraponto