22h : 24min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Debbie Reynolds morre um dia depois da filha Carrie Fisher

Atriz sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e estava na casa do filho tratando do funeral da filha, segundo informações do TMZ

Comentar
Compartilhar
29 DEZ 2016Por Bárbara Farias01h09
Debbie Reynolds tinha 84 anos e pedeu a filha Carrie Fisher na terça-feira (27)Foto: Divulgação

A atriz Debbie Reynolds morreu nesta quarta-feira (28), um dia depois de sua filha Carrie Fisher. Ela tinha 84 anos de idade e faleceu em consequência de um acidente vascular cerebral (AVC). As informações foram divulgadas pelo site TMZ.

Ainda segundo noticiou o TMZ, Debbie estaria consternada desde a morte da filha. Carrie morreu na terça-feira (27) quatro dias após sofrer uma parada cardiorrespiratória durante um voo de Londres para Los Angeles. Ela tinha 60 anos de idade e ganhou fama mundial como a Princesa Leia de Star Wars.

Segundo informou o site, a atriz estaria na casa de seu filho para discutir o funeral de Carrie.

Debbie Reynolds se consagrou no filme “Cantando na Chuva”, de 1952. Em 1964, ela foi indicada ao Oscar por seu papel em “A inconquistável Molly”.

No ano passado, Debbie recebeu o Prêmio Humanitário Jean Hersholt. E um de seus maiores feitos foi ajudar financeiramente um grupo que trabalhava com pessoas vítimas de problemas mentais.

Em sua autobiografia, “Unsinkable: A Memoir”, publicada em 2013, Debbie relata os altos e baixos de sua vida pessoal e sobre sua carreira na Era de Ouro de Hollywood.

Debbie foi casada com o pai de Carrie Fisher, Eddie Fisher, por quatro anos durante a década de 1950.

Debbie Reynolds com Donald O’Connor e Gene Kelly em “Cantando na Chuva”, de 1952 (Foto/Frame)

Vida e carreira

Debbie Reynolds nasceu no dia 1º de abril, em El Paso, no Texas, Estados Unidos.

Casou-se três vezes. O seu primeiro marido foi Eddie Fisher, de 1955 até 1959, com quem teve dois filhos. Um deles é a atriz Carrie Fisher, conhecida pelo seu personagem Princesa Leia, de Star Wars. O casamento acabou após ela ter sido "trocada" pela amiga Elizabeth Taylor. Em 1960, Debbie casou-se com Harry Karl, de quem se divorciou em 1973. A atriz voltaria a casar-se novamente em 1984 com Richard Hamlett, de quem se divorciou em 1996.

Debbie Reynolds foi uma das poucas atrizes que teve a oportunidade de dançar em cena com Fred Astaire e Gene Kelly. As outras foram Judy Garland, Cyd Charisse, Vera-Ellen (Um Dia em Nova York - 1949), Rita Hayworth e Leslie Caron (Sinfonia de Paris- 1951).

Em 1969, seguindo os passos de outros astros da época como Doris Day, lançou um seriado de televisão com o seu nome. Contudo, o primeiro episódio teve anúncio de cigarro e como essa era uma das de suas restrições, Reynolds criou um grande problema na NBC e cancelou tudo.

Sua estreia na Broadway aconteceu em 1973 com a peça "Irene", que ficou cerca de 20 meses em cartaz e pela qual foi indicada ao Tony de Melhor Atriz em Musical. O Tony é o prêmio equivalente ao Oscar no teatro.

Três anos depois, em 1976, teve uma curtíssima temporada com "Debbie", no Minskoff Theatre.

Debbie retornou em 1983 substituindo a estrela Lauren Bacall, em "Woman of the Year".

Considerada (por ela mesma) uma grande "viciada" em objetos do cinema, Debbie colecionava mais de 4 mil artigos, principalmente roupas, desde os tempos do cinema mudo até os anos 70. Só de cartazes são mais de 3 mil e muitos deles com autógrafos dos atores envolvidos.

Em sua participação no seriado Will & Grace (1998), entrou em cena cantarolando a música "Good Morning", cantada por ela no clássico Cantando na Chuva (1952).

Nos anos 90, chegou a abrir um museu de cinema em Las Vegas. O projeto durou até 1997, quando foi encerrado devido a problemas financeiros.

Em abril de 2002, abriu o Hollywood Motion Picture Collection perto do tradicional Kodak Theatre.

Debbie ganhou uma estrela na Calçada da Fama, em janeiro de 1997, localizada no número 6654 da tradicional Hollywood Boulevard. 

Colunas

Contraponto