Promo DL

'Bingo - O Rei das Manhãs' é escolhido para representar o Brasil no Oscar

Desde 1999, com "Central do Brasil", de Walter Salles, o país não disputa a categoria de filme estrangeiro da Academia

Comentar
Compartilhar
15 SET 2017Por Folhapress14h37

O filme "Bingo - O Rei das Manhãs", de Daniel Rezende", foi escolhido para representar o Brasil para a disputa de uma nomeação ao Oscar de filme estrangeiro. O anúncio foi feito na manhã desta sexta (15), por Jorge Peregrino, que chefiava a comissão da Academia Brasileira de Cinema.

Desde as 9h da manhã a comissão estava reunida na Cinemateca Brasileira para a escolha do filme. O anúncio teve atraso de mais de uma hora.

"Bingo - O Rei das Manhãs" foi escolhido em uma seleção que ainda tinha longas como "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky, "Corpo Elétrico", de Marcelo Caetano, "O Filme da Minha Vida", de Selton Mello, "Gabriel e a Montanha", de Fellipe Barbosa, "João, o Maestro", de Mauro Lima, "Polícia Federal - A Lei É para Todos", de Marcelo Antunez, e "Vazante", de Danhiela Thomas, entre outros.

Desde 1999, com "Central do Brasil", de Walter Salles, o país não disputa a categoria de filme estrangeiro.

A indicação vem um ano depois da polêmica nomeação de "Pequeno Segredo", escolhido no lugar de "Aquarius". Na época, parte do meio audiovisual brasileiro encarou a escolha como uma retaliação a equipe de "Aquarius", que protestou contra o governo Temer em Cannes.

A disputa por uma vaga entre os cinco finalistas do Oscar 2018 promete ser acirrada. Entre os principais favoritos está o sueco "The Square", que surpreendeu ao levar a Palma de Ouro em Cannes, em maio deste ano. O vencedor do Urso de Ouro em Berlim também está na disputa: "On Body and Soul", de Ildiko Enyedi, representante da Hungria.

Entre os sul-americanos já desponta o chileno "Uma Mulher Fantástica", de Sebastián Lelio, como forte candidato -o longa está em cartaz atualmente no Brasil. Do mesmo diretor de "Gloria", o longa arrancou elogios no Festival de Berlim. Até hoje, o único filme chileno a conseguir entrar no top 5 final do Oscar foi "No", de Pablo Larraín, que foi derrotado em 2013 por "Amor", de Michael Haneke.

E Haneke pode estar de novo no caminho dos chilenos. O diretor tenta voltar ao Oscar com "Happy End", representando a Áustria, novamente estrelado por Jean-Louis Trintignant e Isabelle Huppert (que estavam em "Amor").

Nesta semana o Vietnã também selecionou seu filme: "Father and Son", de Luong DInh Dung, que está percorrendo alguns festivais internacionais. Já a Bulgária selecionou "Glory", que estreou nesta quinta (14) no Brasil.

A lista final dos concorrentes ao Oscar será anunciada no dia 23 de janeiro e a entrega do prêmio será no dia 4 de março, em Los Angeles.

Confira alguns candidatos de outros países:

Alemanha - "In the Fade", de Fatih Akin

Áustria - "Happy End", de Michael Haneke

Bulgária - "Glory", de Kristina Grozeva e Petar Valchanov

Chile - "Uma Muher Fantástica", de Sebastián Lelio

Hungria - "On Body and Soul", de Ildiko Enyedi

Japão - "Her Love Boils Bathwater", de Ryota Nakano

Kosobvo - "Unwanted", de Edon Rizvanolli

México - "Tempestad", de Tatiana Huezo

Noruega - "Thelma", de Joachim Trier

República Tcheca - "Ice Mother", de Bohdan Sláma

Suécia - "The Square", de Ruben Ostlund

Vietnã - "Father and Son", de Luong Dinh Dung

Colunas

Contraponto