Entrada da Cidade

Sem atingir meta, cidade de SP prorroga vacinação contra pólio e sarampo

Entre as idades atendidas pela campanha, a única que ainda não atingiu a meta é a de crianças com um ano

Comentar
Compartilhar
15 SET 2018Por Folhapress00h30
O início da imunização foi antecipado pela secretariaFoto: Agência Brasil

Sem atingir a meta de vacinar 95% das crianças entre um e cinco anos incompletos contra o sarampo e a poliomielite, a Secretaria Municipal de Saúde da capital paulista decidiu, nesta sexta-feira (14), prorrogar mais uma vez a campanha de vacinação até o dia 29 de setembro.

Até esta quinta (13), as doses da vacina de pólio tinham alcançado 92,7% do público-alvo e as doses da vacina SCR (tríplice viral que protege contra sarampo, caxumba e rubéola), 92,1% das crianças -no total, foram cerca de 548 mil doses para a primeira e 545 mil para a segunda.

Entre as idades atendidas pela campanha, a única que ainda não atingiu a meta é a de crianças com um ano, segundo a secretaria -nesta faixa etária, a cobertura não chegou a 70%. As zonas da cidade com menos crianças vacinadas são o centro e a zona oeste. 

O início da imunização foi antecipado pela secretaria, sob gestão Bruno Covas (PSDB), que criou um dia D  extra, em 4 de agosto. A campanha nacional, definida pelo Ministério da Saúde, começou dois dias depois.

Diante da dificuldade de atingir metas de vacinação até 31 de agosto, na última semana da data limite a secretaria municipal começou a enviar agentes de saúde de casa em casa atrás das crianças que não haviam tomado vacina, como adiantado pela Folha de S.Paulo. 

A campanha terminou com o balanço de que a maioria dos estados estava com a média de vacinação abaixo de 95%. Só sete haviam chegado ao índice: Amapá, Santa Catarina, Pernambuco, Rondônia, Espírito Santo, Sergipe e Maranhão. 

O Ministério da Saúde pediu, então, que fosse feito mais um dia D nos estados em 1º de setembro. Depois, decidiu prorrogar a campanha nacional até esta sexta-feira (14). Sem alcançar todo o público-alvo, São Paulo resolveu estender mais uma vez o prazo.

Neste sábado (15), cerca de 80 postos estarão abertos para aplicação das vacinas. Para saber qual a unidade de vacinação mais próxima na capital paulista acesse o site Busca Saúde, digite o endereço e veja a lista dos locais indicados.

Além das unidades de saúde, as doses também serão aplicadas neste sábado em posto volante localizado no piso térreo do Santana Parque Shopping, na zona Norte, das 10h às 17h.

Pólio e sarampo

Neste ano, a campanha de vacinação é "indiscriminada", o que significa que mesmo crianças que estão com a carteirinha de vacinação em dia devem receber novas doses de reforço contra as duas doenças.

O objetivo é elevar a cobertura vacinal no país e reforçar a proteção de já vacinados. Desde fevereiro, o país já registra 1.553 casos de sarampo, com sete mortes. Outros 6.975 casos permanecem em investigação.

Já a poliomielite preocupa diante da queda nas coberturas vacinais, o que aumenta o risco de retorno da doença caso haja nova reintrodução do vírus no país e contato com não vacinados.

Durante a mobilização, a aplicação das doses tem esquemas diferentes dependendo da situação vacinal de cada criança.

Para poliomielite, é composto por três doses da vacina administradas aos dois, quatro e seis meses, sendo necessários dois reforços aos 15 meses e aos quatro anos de idade.

A imunização contra o sarampo é feita por meio da vacina tríplice viral, que protege também contra rubéola e caxumba. O esquema vacinal é de uma dose aos 12 meses, com um reforço aos 15 meses, com a aplicação da tetraviral, que inclui a imunização contra varicela.

As únicas crianças que não poderão ser vacinadas são as imunodeprimidas, como aquelas submetidas a tratamento para leucemia e pacientes oncológicos.

Colunas

Contraponto