07h : 20min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

ONS reduz projeção de chuvas em junho para todo País

Com a revisão das estimativas, o ONS também atualizou a projeção para a Energia Armazenada (EAR) nos reservatórios do sistema ao final de junho

Comentar
Compartilhar
17 JUN 2017Por Estadão Conteúdo20h02
Um pedestre atravessa durante forte chuva na região da Avenida Paulista, em São PauloFoto: Marcelo D. Sants/Framphoto

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu a previsão de chuvas para junho em todo País, mas ainda espera que um volume significativo de água, acima da média para o período, chegue aos reservatórios das hidrelétricas do Sul e Sudeste. A Energia Natural Afluente (ENA) esperada para o Sul neste mês passou a ser de 297% da média de longo termo (MLT), ante os 330% projetados na semana passada. Já para o Sudeste a previsão caiu dos 113% para os 106%. As afluências esperadas para o Norte foram reduzidas de 64% para 61%, enquanto a expectativa para o Nordeste foi mantida em 34%.

Com a revisão das estimativas, o ONS também atualizou a projeção para a Energia Armazenada (EAR) nos reservatórios do sistema ao final de junho. O Sul encerrará o mês com reservatórios em 92,7% de suas capacidades, abaixo dos 95,6% calculados anteriormente e dos 93,7% anotados nesta sexta-feira, 16.

A previsão para o Sudeste foi praticamente mantida em 42,8% (-0,1 ponto porcentual), o que corresponde a um ligeiro consumo de volume armazenado em relação aos 43,1% de hoje. O Nordeste também deverá gastar reservatório, com a EAR recuando dos 18,9% de hoje para 17,7% da capacidade. O nível dos reservatórios do Norte terá leve queda, dos 65,1%, para 64,8%.

ONS também revisou sua previsão de carga para o Sistema Interligado Nacional (SIN) em junho elevando o montante esperado dos 63.031 MW médios estimados na semana passada para 63.191 MW médios, o que corresponde a uma alta de 1,8% da carga na comparação com o registrado em igual mês do ano passado - anteriormente a expectativa era de aumento de 1,6%.

Foi elevada a projeção de carga para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, passando a esperar uma expansão de 2,5% em relação a junho de 2016, acima dos 2% previstos na semana passada. Por outro lado, para o Sul houve uma redução da estimativa de carga e agora se espera um recuo de 2,9%, acima dos 2,7% anteriores. A carga do Nordeste deve crescer 1,5% na mesma comparação (a previsão anterior indicava alta de 1,2%), enquanto para o Norte a projeção permaneceu praticamente estável, com alta de 8% (ante 7,9%).

CMO

Diante da redução da previsão de chuvas e da expectativa de carga maior, o Custo Marginal de Operação (CMO) voltou a subir e foi estabelecido em R$ 119,64 por megawatt/hora (MWh) para Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Sul, acima dos R$ 80,38/MWh da semana passada. No Sul, o CMO ficou em R$ 66,61/MWh, saindo do custo zerado das últimas semanas.

Colunas

Contraponto