12h : 58min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Incêndios atingem três unidades de conservação e parque em São Paulo

As chamas atingem a Estação Experimental, a Estação Ecológica e a Reserva Biológica de Mogi-Guaçu, além do Parque Estadual de Campos do Jordão

Comentar
Compartilhar
13 SET 2017Por Folhapress14h03

Incêndios de grandes proporções consomem áreas de ao menos três unidades de conservação e mais um parque do Estado de São Paulo nesta quarta-feira (13), segundo a secretaria de meio ambiente da gestão Alckmin (PSDB).

As chamas atingem a Estação Experimental, a Estação Ecológica e a Reserva Biológica de Mogi-Guaçu, além do Parque Estadual de Campos do Jordão. O fogo também chegou ao parque de Itapetinga, em Bom Jesus dos Perdões, mas as chamas foram controladas no local durante a madrugada desta quarta.

Ao menos 80 brigadistas do governo do Estado formam a frente de combate aos incêndios. Os trabalhos também contam com o apoio do helicóptero Águia, da Polícia Ambiental.

Segundo a pasta de meio ambiente do governo paulista, ainda não é possível estimar o tamanho da área devastada pelas chamas. As áreas em Mogi-Guaçu são formadas por vegetação de cerrado. O fogo não atingiu as casas presentes no local e nem a sede administrativa da unidade.

No parque de Campos do Jordão, o incêndio começou na região conhecida como paiol e se alastrou para a área de mata. O local é isolado e a vegetação predominante é de pinus (pinheiros) e campos, ambos de alta combustão.

O Parque Estadual Itapetinga, que já havia sido castigado por um grande incêndio há uma semana e ainda estava sendo monitorado, teve um novo foco na tarde desta terça. O incêndio foi controlado por voluntários e bombeiros.

As causas das queimadas estão sendo apuradas. De acordo com balanço do governo paulista, o número de incêndios florestais nas áreas protegidas do Estado caiu neste ano em relação ao mesmo período de 2016.

Neste ano, foram registradas 31 ocorrências até a primeira semana deste mês -658 hectares foram devastados. No mesmo período de 2016, foram 69 ocorrências em 2.210 hectares de área.

INCÊNDIOS FLORESTAIS

O tempo seco e a falta de chuvas favorece o avanço das chamas pela vegetação.

De acordo com previsão meteorológica do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), uma massa de ar seco atua em grande parte do Estado e barra a entrada de frentes frias e, consequentemente, a formação de chuvas na região. O calorão e índices críticos de umidade deverão persistir em grande parte do Sudeste.

Em Mogi-Guaçu faz 32º C nesta quarta. A máxima prevista em Bom Jesus dos Perdões é de 29º C e em Campos do Jordão, os termômetros não deverão passar dos 25º C. Nos três municípios com áreas protegidas atingidas pelo fogo há previsão de chuva.

PREVENÇÃO

A conservação e a proteção da floresta não depende apenas das ações de combate aos incêndios, mas também da atitude responsável da população que vive no entorno das áreas de conservação.

Para evitar novas ocorrências, é imprescindível não queimar lixo, entulhos, folhas e restos de troncos caídos no chão.

Também é importante não jogar pontas de cigarro na beira das estradas e não utilizar o fogo para manejo de pasto. Denúncias sobre incêndios criminosos podem ser feitas no 190, da Polícia Ambiental.

Ao avistar o fogo nas margens de rodovia, a população deve ligar para a concessionária e, ao verificar em vegetação, entrar em contato com o Corpo de Bombeiros.

Colunas

Contraponto