Banner Codevida

Alckmin paga aluguel, mas deixa prédio vazio em SP

O edifício desocupado foi transferido em 2010 para a Secretaria de Fazenda, que ali instalaria a Jucesp

Comentar
Compartilhar
10 SET 2017Por Folhapress08h30
De acordo com a assessoria do Palácio dos Bandeirantes, o imóvel está em negociaçãoFoto: Ciete Silvério

A menos de duas quadras da estação Anhangabaú do metrô, e a três da estação República, um prédio de 18 andares está vazio há oito anos. Ali funcionou a sede do Instituto de Previdência do Estado de São Paulo, Ipesp, até 2009.

Com entradas pelas ruas Braulio Gomes e Sete de Abril, a poucos metros da Biblioteca Mário de Andrade, o edifício de 11 mil metros quadrados de área construída pertence ao governo do Estado, sob Geraldo Alckmin (PSDB).

Enquanto não lhe davam uso, diferentes órgãos estaduais assinaram aluguéis milionários e a secretaria responsável pelo imóvel construiu uma nova sede.

O esvaziamento do prédio foi iniciado quando o Ipesp foi desmembrado em dois órgãos, a SPPrev e o novo Ipesp (Instituto de Pagamentos Especiais de São Paulo, que só atende advogados e funcionários de cartórios). Os dois órgãos recém-criados saíram dali e alugaram imóveis na valorizada região da avenida Paulista.

O edifício desocupado foi transferido em 2010 para a Secretaria de Fazenda, que ali instalaria a Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo).

No ano seguinte, no entanto, a Jucesp passou para a órbita da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, que passou a ser responsável pelo imóvel. De acordo com o governo do Estado, a Jucesp orçou em R$ 18 milhões a reforma e a adaptação do imóvel e acabou desistindo da mudança.

Nesse baile imobiliário, a secretaria de Desenvolvimento Econômico acabou construindo uma nova sede, a um custo de R$ 15,6 milhões, com 6.000 metros quadrados, pouco mais que a metade do prédio vazio que lhe pertencia.

A explicação para a sede nova, vizinha à Cidade Universitária da USP, seria para impulsionar um parque tecnológico prometido para o bairro do Jaguaré, na zona oeste da cidade, algo que tampouco aconteceu.

Aluguel

A SPPrev paga R$ 9,5 milhões por ano pelos 1.525 metros quadrados que ocupa em um imóvel na rua Bela Cintra, vizinho à avenida Paulista. O novo Ipesp paga quase R$ 1 milhão de aluguel anualmente por sua sede na avenida Brigadeiro Luís Antonio.

Em 3 de agosto último, o edifício sem uso, uma batata quente imobiliária, foi transferido de novo, desta vez para a Secretaria de Governo do Estado de São Paulo.

De acordo com a assessoria do Palácio dos Bandeirantes, o imóvel está em negociação para ser adquirido pela Fundação Procon, por R$ 30 milhões. Em reunião do conselho do órgão, em março, foram estimados outros R$ 30 milhões para reformá-lo.

Apesar de não parecer tão alto para quem o vê da rua, o encalhado prédio tem dez andares recuados, e um espaçoso terraço com jardim.

Colunas

Contraponto